Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

30 Outubro de 2020 | 10h20 - Actualizado em 30 Outubro de 2020 | 10h19

Ministro reitera apoio ao desenvolvimento da ANGOP

Luanda - O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, reiterou, nesta sexta-feira, o apoio do Executivo no processo de modernização integral da agência angolana de notícias (Angop-E.P).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, durante reinauguração das redações nacional e internacional

Foto: Pedro Parente

Em mensagem alusiva aos 45 anos de existência da única agência de notícias do país, Manuel Homem realça que se pretende, para o efeito, garantir uma informação plural, independente, rigoroso, isenta e responsável.

O governante ressalta que este apoio visa o desenvolvimento nos capítulos humano, editorial e tecnológico.

Manuel Homem aproveitou a ocasião para encorajar os profissionais e responsáveis da agência de notícias de Angola a prosseguirem a sua acção de recolha, tratamento e distribuição de material noticioso no país e no exterior, com base numa informação objectiva e credível sobre a actualidade nacional e internacional.

A empresa foi criada em Julho de 1975 sob a designação de Agência Nacional Angola Press (ANAP). Nessa altura, os seus trabalhos eram distribuídos sob a forma de boletim. Em Outubro do mesmo ano, a ANGOP adopta a sua actual e definitiva denominação, Agência Angola Press, sob proposta do então Presidente da República, António Agostinho Neto, e lança, no dia 30 daquele mês, o primeiro despacho com a nova sigla.

Três anos depois, a 2 de Fevereiro de 1978, a agência foi transformada em órgão estatal de comunicação social, com a publicação do decreto presidencial 11/78, de 2 de Fevereiro, no Diário da República. A partir daí, estavam lançadas as bases para o seu crescimento e desenvolvimento, que viria a conhecer momentos áureos na década de 80. Nessa época, a ANGOP já contava com cerca de 300 trabalhadores, a maioria jornalista, com um labor ininterrupto, 24 horas ao dia, em todo o país (18 províncias) e no estrangeiro com cinco delegações (Portugal, Brasil, Reino Unido, Zimbabwe e Congo).

Em 2013 entrou com um quadro tecnológico e humano em constante transformação e actualização, em consonância com a modernidade dos meios de telecomunicações e de comunicação social, factores que concorrem para a concretização do seu grande desafio e sonho, o de se transformar numa grande empresa multimédia.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 30/10/2020 21:19:36

    Prensa Latina quer mais cooperação com ANGOP

    Luanda - O presidente da Prensa Latina, Luis González, reafirmou, nesta sexta-feira, o interesse de reforçar a cooperação com a Agência Angola Press (ANGOP).

  • 30/10/2020 20:59:08

    MAPTSS enaltecece antigo titular do sector

    Luanda - O Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, enalteceu, nesta sexta-feira, os feitos do antigo titular do sector, Horácio Pereira Brás da Silva, falecido hoje, vítima de prolongada doença.

  • 30/10/2020 20:46:13

    Comissão Multisectorial denúncia campanha de premiação "Kwenda"

    Luanda - A Comissão Multisectorial do Projecto de Fortalecimento de Protecção Social considerou, nesta sexta-feira, falsa uma campanha de premiação promovida por desconhecidos.

  • 30/10/2020 14:19:58

    MPLA incentiva Angop ao contínuo jornalismo plural

    Luanda - O Bureau Político do Comité Central do MPLA incentivou, nesta sexta-feira, a Agência Angola Press (Angop) a pugnar pelo exercício de um jornalismo plural, rigoroso e isento em que impera o respeito pelos princípios da deontologia e ética profissional.