Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

22 Setembro de 2019 | 14h45 - Actualizado em 23 Setembro de 2019 | 13h16

Trabalhador da "Zambiami" morre devido a queimaduras

Luanda - Um trabalhador angolano da empresa de construção civil chinesa "Zambiami", em Cabinda, atingido, no sábado, pela explosão de uma caldeira, morreu duas horas depois da chegada à Clínica Girassol, em Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Embaixador da China em Angola , GONG TAO

Foto: Gaspar dos Santos

Vítima do incêndio em Cabinda

Foto: Gaspar dos Santos

O trabalhador em causa fazia parte dos 14 evacuados sábado, em Luanda, depois de terem sido atingidos pelo produto, altamente quente, de uma caldeira artesanal de processamento de alcatrão e betão betuminosa, que explodiu na hora dos ensaios.

A empresa Zambiami trabalha em Cabinda no ramo da construção civil, há mais de 8 anos, e conta com mais de 200 trabalhadores angolanos e 100 chineses, entre engenheiros civis, arquitectos e outros técnicos deste ramo.

A informação foi prestada pelo director clínico em exercício da Clínica Girassol, Sérgio Neto, durante uma visita do vice-presidente da República, Bornito de Sousa, e do embaixador da China no país, Gong Tao.

De acordo com o responsável, os pacientes apresentam queimaduras de segundo e terceiro graus e com diagnóstico ainda reservado, dada a gravidade das lesões.

Para além dos profissionais, que englobam dois cirurgiões-plásticos, conta com o reforço de quatro cirurgiões do Hospital Neves Bendinha.

O incidente aconteceu por volta das 16 horas na empresa de construção civil chinesa Zambiami, na localidade de Chiazi, a aproximadamente 18 quilómetros a Norte de Cabinda.

A caldeira, de fabrico artesanal, tinha cerca de mil metros cúbicos de alcatrão no momento do processamento, e a falta de controlo dos procedimentos de segurança provocou a explosão, tendo o produto, com altas temperaturas, atingido os trabalhadores, num total de 14, que assistiam aos ensaios.

Devido ao estado crítico, os sinistrados foram evacuados num voo da Força Aérea Angolana, para hospitais de especialidade, na capital angolana.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 22/09/2019 19:16:37

    Conferencistas querem promoção da paz e da tolerância

    Luanda - Os participantes na Bienal Luanda - Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz recomendaram, neste domingo, na capital angolana, aos Estados africanos à promoção de conteúdos e abordagens educacionais informais, formais intersectoriais respeitante a diversidade cultural, os valores da paz e da tolerância.

  • 22/09/2019 18:41:47

    Ministro encoraja debate sobre diáspora africana

    Luanda - O ministro da Comunicação Social, João Melo, sugeriu, neste domingo, que a situação das diásporas africanas seja discutida no próximo Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, a decorrer em 2020, em Angola.

  • 22/09/2019 18:38:20

    Sindicalista defende separação da mídia com poder político

    Luanda - O secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas de Angola (SJA), Teixeira Cândido, advogou hoje, domingo, a separação da mídia e do poder político, como forma de tornar a comunicação social mais forte, apartidária e plural.