Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

01 Novembro de 2019 | 23h08 - Actualizado em 01 Novembro de 2019 | 23h08

Ministério da Saúde eleva sustentabilidade das unidades sanitária

Huambo - A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, disse hoje, sexta-feira, no Huambo, que a criação de condições humanas e financeiras, para elevar a sustentabilidade das unidades sanitárias, constitui uma das apostas do sector, no quadro da humanização dos serviços de atendimento médico e medicamentosos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar


Ao abordar a sustentabilidade dos serviços de saúde nos municípios e comunas, enquadrado nas discussões do 7º Fórum dos Municípios e Cidades de Angola, aberto quinta-feira, no planalto central, referiu tratar-se de uma aposta que visa, sobretudo, reduzir a pressão nos hospitais de referência, no que tange ao atendimento aos pacientes.

Sílvia Lutucuta salientou que, em termos práticos, o Ministério da Saúde tem trabalhado no reforço do número de profissionais das unidades sanitárias das comunidades, através da realização de concursos para admissão de novos quadros, bem como no aumento do financiamento atribuído aos municípios e, concomitantemente, na construção de mais infra-estruturas, para a prestação de um serviço sanitário mais humanizado.

A par disso, informou, o sector da saúde dá primazia no reforço da logística de medicamentos, numa acção conjunta com o Ministério das Finanças, através da aquisição de fármacos para as doenças mais comuns: malária, tuberculose, HIV/sida, as enfermidades de origens hídrica, parasitoses e outras negligenciadas, para além das crónicas não transmissíveis.

“Sabe-se que para melhorar a sustentabilidade dos serviços de saúde a nível dos municípios é necessário o aumento dos recursos financeiros, que, por sua vez, devem ser atribuídos em tempo útil, assim como de quadros capazes de garantir um atendimento de qualidade, numa altura em que as autoridades estão a criar condições para o efeito, com a construção e modernização das infra-estruturas”, precisou.

Também está em curso, segundo a governante, acções que visam a melhoria dos cuidados primários de saúde no aspecto preventivo e curativo, sem descurar, a própria educação e a vigilância epidemiológica, além da criação de um sistema de informação, de modo permitir uma boa gestão do sector, através da disponibilidade de dados viáveis que possam assegurar a planificação das actividades, com a notificação e rastreio pontual das doenças.

O evento, cujos trabalhos foram orientados pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel José Nunes Júnior, na presença de responsáveis de departamentos ministeriais, governadores das 18 províncias e administradores dos 164 municípios, analisou, entre outros, “O Ponto de situação da operacionalização do PIIM”, “A proposta do Orçamento Geral do Estado para 2020” e “O balanço do processo de reforço da desconcentração financeira”,

Assuntos Ministério da Saúde  

Leia também