Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

30 Junho de 2018 | 07h31 - Actualizado em 29 Junho de 2018 | 12h55

ADRA defende maior rigor na gestão do orçamento

Luanda - A Acção Angola para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) afirma ser importante que Angola, além de cumprir os compromissos africanos em relação a quantia estipulada para a Saúde e Educação, faça boa gestão do Orçamento em termos de valores.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A directora da Unidade de Comunicação e Advocacia da ADRA, Cecília Utombe, que defendeu maior rigor na gestão do OGE, considerou importante que o Estado salvaguarde os direitos das mulheres no OGE, informando que há  países que já trabalham neste documento na perspectiva do género.

Indicou que se Angola quer garantir o desenvolvimento deve apostar nas mulheres, porque são elas que ficam com a maior carga em relação ao cuidado da família.

Cecília Utombe, que falava a propósito do Seminário sobre Literacia Orçamental, no município do Kilamba Kiaxi,  reprovou a atitude dos cidadãos que consideram que o OGE é um assunto do Estado.

Esclareceu que o OGE não é só um problema do Estado, mas de todo o cidadão angolano, porque reflecte as verbas que vão para a Saúde, Educação, Protecção Social, para os programas virados  aos jovens, as mulheres, cuidado da infância, assim como outros sectores.

O OGE, reforçou, compila todos os programas sociais que serão depois implementados num determinado ano,  pensados para os cidadãos e é importante que ele tenha conhecimento quanto é dirigido para um determinado  território.

Para Cecília Utombe, os cidadãos devem ter consciência que devem monitorar para que a despesa tenha a qualidade necessária, porque muitos dos problemas que Angola têm hoje não e tanto de aumento, mas de  utilização das verbas.

Todo o angolano, aconselhou,  é chamado a participar para quando tiver acesso a um serviço saber de onde esta a vir  e também para garantir a prestação de contas, porque se alguém gere o orçamento  deve ser monitorado.

O seminário, promovido pela ADRA,  em parceria com a  Ong Ajuda Popular da Noruega e a União Europeia, foi já realizado nos municípios de Viana, Cazenga e Cacuaco.

Assuntos OGE   Província » Luanda  

Leia também