Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

11 Junho de 2019 | 15h48 - Actualizado em 11 Junho de 2019 | 15h48

Primo do novo presidente do Curdistão assume cargo de primeiro-ministro

Erbil (Iraque) - Masrour Barzani, filho do ex-presidente do Curdistão iraquiano, Masoud Barzani, foi nomeado nesta terça-feira pelo parlamento como primeiro-ministro da região autónoma após ser indicado pelo seu primo e o novo presidente, Nechirvan Barzani.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Na sessão de hoje do parlamento foi aprovada a nomeação de Masrour, que era até hoje responsável pelo Conselho de Segurança da região do Curdistão, com o voto de 87 dos 97 parlamentares, disse a Câmara em comunicado.

O novo primeiro-ministro, membro do Partido Democrático do Curdistão (KDP), legenda com mais deputados eleitos nas eleições de Setembro de 2018, terá o prazo de um mês para formar um governo que o seu partido já está a negociar com outros grupos políticos.

A sua nomeação foi confirmada um dia depois do seu primo assumir o cargo de novo presidente da região, um cargo que estava vago desde que Masoud Barzani renunciou no final de 2017, após o fracasso de um referendo de independência, que foi aprovado pelo povo curdo, mas rejeitado por Bagdad e pela comunidade internacional.

A sua renúncia aconteceu em meio a uma operação militar do governo central, que conseguiu tomar dos curdos alguns dos territórios disputados entre Bagdad e Erbil, entre eles a companhia petrolífera Kirkuk.

Masrour Barzani era desde 2012 o encarregado de supervisionar os serviços de inteligência, militares e de segurança da região num período no qual lutou contra a ocupação do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

A formação do governo será complexa, pois o principal partido da oposição, a União Patriótica do Curdistão (UPK) - que tem metade do número de deputados do KDP -, e outras alas do parlamento rejeitaram a nomeação do presidente.

Assuntos Política  

Leia também