Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

03 Janeiro de 2020 | 19h03 - Actualizado em 03 Janeiro de 2020 | 19h02

UKB com 1.578 vagas no ano lectivo 2020

Benguela - Mil e 578 vagas estão disponíveis para o ano lectivo (2020) na Universidade Katyavala Bwila (UKB), afecta às províncias de Benguela e do Cuanza Sul, contra as 1.400 do ano passado, anunciou esta sexta-feira, o seu reitor, Albano Ferreira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Logotipo da Universidade Katyavala Bwila

Foto: Divulgação

Segundo o responsável, que falava à Angop, a propósito da abertura das inscrições para os exames de acesso, que decorrem de 02 a 11 do mês em curso, este aumento deve-se à abertura de um novo curso de Língua Portuguesa no Instituto Superior de Ciências da Educação do Cuanza Sul.

 Albano Ferreira disse existirem 495 vagas no ISCED Cuanza Sul, 464 no ISCED de Benguela, 225 na Faculdade de Economia, 90 na de Direito, 60 na de Medicina e 244 no Instituto Superior Politécnico (ISP), perfazendo 1.578 vagas nas seis unidades orgânicas da UKB.

Segundo o reitor, no ano lectivo 2020, a UKB não vai ter admissões para o curso de psicologia (foi considerado como excedentário pelo órgão de tutela), mas em contrapartida estão autorizados desde o ano passado os cursos de Sociologia, Língua Portuguesa e ensino de Química.

“Para este ano, o curso novo na UKB vai versar sobre o ensino de língua portuguesa, autorizado no ano transacto (2019), conjuntamente com o ensino de Química e de Sociologia”, disse.

Ainda assim, acrescentou, ao abrigo do Plano Nacional de Formação de Quadros (PNFQ), em coordenação com o Ministério de Educação e do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, a UKB vai abrir também este ano um novo curso de Mestrado de Ensino Primário (o 9º), inserido no quadro da política de formação e gestão de professores.

Segundo o responsável, trabalha-se igualmente para abertura, ainda este ano, de outro curso de mestrado em medicina, referente à Parasitologia Médica, numa parceria com o Instituto de Higiene e Medicina Tropical de Lisboa (Portugal).

Referiu que, recentemente, fez parte de uma comitiva oficial que esteve em Portugal, onde procedeu a assinatura de um protocolo neste domínio, uma vez que há a ideia de tornar Benguela num pólo de formação de excelência, em termos de ciências médicas, tendo em conta a existência na região de indicadores e características importantes capazes de permitirem o estudo de doenças infecciosas, sobretudo parasitárias.

Quanto a pós-graduação, apontou que a UKB no Cuanza Sul conta com quatro cursos em Ciências de Educação e dois outros no ISCED/Benguela, nomeadamente o de “Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa” e “Ensino Especial”, dois outros na faculdade de Direito (Direito de Transporte e Direito jurídico civil).

“Há projectos de abertura de novos cursos ou mesmo a extensão da Universidade em outros municípios, mas isso implica investimentos que não existem, por isso, talvez seja um plano para médio plano”, frisou Albano Ferreira, apontando que Benguela vai beneficiar também da abertura de novos cursos de pós-graduação e mestrado em ensino primário, numa parceria internacional com a Universidade do Minho, Portugal.

Assumindo haver limitações de carácter orçamental, descartou para já a possibilidade de levar o ensino superior para outras regiões, tendo em conta a realidade actual, aventando a hipótese de se concentrar energias para manter os cursos e as condições actuais.

Relativamente à abertura do curso de licenciatura em engenharia ambiental, afirmou que a proposta está em tramitação no órgão de tutela, tal como a de outros cursos que não enumerou, o que vai requerer condições objectivas por criar, apesar de ser importante e prioritário para a região.

Por outro lado, reconheceu que no capítulo da investigação a realidade ainda é incipiente, porque a universidade vive o paradigma de um docente por cada disciplina, quando a política universitária, com ênfase para qualidade, define equipas docentes por disciplina, o que prejudica a actividade investigativa.

Ainda assim, mostrou-se regozijado com o facto de o recente grupo de 60 bolseiros apurados para as melhores universidades do mundo integrarem dois antigos estudantes da UKB.

Com 250 docentes nacionais e 50 expatriados, o gestor da Universidade Katyavala Bwila espera por um concurso público de admissão de professores, a fim de se desafogar algumas cadeiras, além de investimentos que permitam a extensão da instituição para outras localidades que não sejam as capitais de províncias.

Leia também
  • 13/12/2019 18:38:38

    Centralidade do Luhongo ganha escola do II Ciclo

    Benguela - Um complexo escolar (BG 0045) do II ciclo, com capacidade para três mil alunos, foi inaugurado hoje, sexta-feira, na centralidade do Luhongo, município da Catumbela, província de Benguela, pela ministra da Educação, Ana Paula Tuavanji Elias

  • 27/11/2019 20:38:43

    Repartições da Educação recebem kits de primeiros socorros

    Benguela - Vinte embalagens de primeiros socorros foram entregues esta quarta-feira, nesta cidade, às dez repartições municipais da Educação da província de Benguela, visando intervirem em casos de acidentes nos recintos escolares.

  • 27/11/2019 19:24:50

    Instituto Médio Politécnico do Lobito ajuda finalistas a encontrar primeiro emprego

    Lobito - O Instituto Médio Politécnico do Lobito, em Benguela, pretende ajudar mais de 80 porcento dos 356 alunos finalistas deste ano lectivo a encontrar o primeiro emprego no mercado de trabalho, afirmou hoje, quarta-feira, o seu director, Edmundo Salupula.