Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

13 Novembro de 2019 | 05h28 - Actualizado em 13 Novembro de 2019 | 07h25

Governo investe USD 50 milhões na formação

Luanda - O Governo angolano prevê investir, até 2027, USD 50 milhões para potenciar o Programa Nacional de Formação de Docentes ao Grau de Doutoramento.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra do Ensino Maria do Rosário Sambo

Foto: Henri Celso

Segundo a ministra do Ensino Superior Ciência e Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, o investimento prevê a formação de 140 doutores e o apetrechamento de Centros de Investigação Pública, nas áreas da agricultura e pescas, telecomunicações e tecnologias de informação, indústria, petróleo, gás e recursos minerais.

Contempla ainda a compra de equipamentos para centros de pesquisa nas áreas de saúde, recursos hídricos, bem como energia e ambiente, precisou a governante, terça-feira, no acto de abertura da 6ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, que decorre até 14 deste mês.

O Programa Nacional de Formação de Docentes ao Grau de Doutoramento visa o fortalecimento do ecossistema da ciência, tecnologia e inovação a nível do país.

De acordo com a ministra, após a formação dos referidos especialistas serão constituidas equipas de investigação e capacitados técnicos de apoio, bem como apetrechados os laboratórios do Instituto do Ensino Superior (IES) e de centros de investigação públicos, para permitir a realização de investigação científica.

Anunciou, por outro lado, que no âmbito do Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia (PDCT) serão financiadas 155 bolsas de estudo de pós-graduação, para mestrados, doutoramentos e pós-doutoramentos.

Paa tal, disse ser necessário trabalhar para uma melhor organização e estruturação das actividades de investigação científica, particularmente no IES, para que seja efectiva e produza resultados relevantes, capazes de agregar valor, tanto nos processos de ensino e aprendizagem, quanto na cadeia de produção nacional.

Para a sua concretização, o seu pelouro, através do Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC), assinou, em Março de 2019, um Protocolo de Cooperação com a Universidade de Lisboa.

O financiamento de projectos de investigação científica permitirá a compra de equipamentos para reforçar a infra-estrutura laboratorial das Instituições de Ensino Superior (IES).

Ainda durante a Conferência foi aberta a 1ª edição da Feira de Ideias, Invenções, Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica (FIEBAT), com o objectivo de acolher essencialmente as criações feitas nos IES e por outros actores, desde que se vislumbre numa verdadeira ligação com a investigação científica e com as empresas

Participam do certame 30 expositores de diversas instituições acadêmicas nacionais.

Assuntos Educação  

Leia também
  • 12/11/2019 10:03:40

    Aldeia do Sope ganha escola primária

    Benguela - Uma escola primária de oito salas e capacidade para 700 alunos foi inaugurada segunda-feira na aldeia do Sope, a 40 quilómetros da sede municipal do Cubal, pelo governador provincial de Benguela, Rui Falcão.

  • 12/11/2019 09:32:27

    Huíla precisa de 300 novas salas de aula

    Chicomba - A província da Huíla precisa de 300 novas salas de aulas para, em 2020, inserir os 449 mil e 252 mil alunos actualmente fora do sistema de ensino

  • 08/11/2019 15:30:48

    Mais de sete mil professores poderão ser suspensos

    Luanda - Sete mil cento e 41 professores poderão ter os salários suspensos, caso não apresentem os seus documentos actualizados para o devido recadastramento até 20 de Novembro, disse hoje (sexta-feira), à Angop, a directora dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, Laudemira de Sousa.