Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

15 Maio de 2019 | 17h56 - Actualizado em 15 Maio de 2019 | 17h56

Laboratório analisa amostras para descartar peste suína na Huíla

Lubango - O Laboratório Regional de Veterinária da Humpata, na província da Huíla, está a analisar amostras biológicas de porcos doentes, colhidas naquele município, nessa segunda-feira, para confirmar ou não a existência de Peste Suína Africana na região.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Suínos

Foto: Divulgação

Em entrevista hoje à Angop, o director do Laboratório, Carlos António Lino, disse que, embora se tenha anunciado a existência de Peste Suína Africana, de  ainda não há confirmação laboratorial da doença, pelo que não se pode aferir rigorosamente que se trata da doença, como avançaram “precipitadamente” algumas pessoas.

Fez saber que técnicos do Laboratório recolheram amostras em três localidades do município mais afectado pela crise, nomeadamente Alto Bimbe, Neves e Onkuluvala, e que os resultados poderão ser anunciados nesta sexta-feira (17) ou o mais tardar na segunda-feira (20) próxima.

“O tipo de surto é uma coisa que está em dúvida ainda, mas os exames que estamos a realizar dir-nos-ão se a Humpata é ou não uma zona endémica”, frisou.

O médico veterinário sublinhou que há seis dias não se registam mortes de suínos, um sinal de que os criadores acataram as medidas para travar a progressão da doença.

Por sua vez, a chefe de secção municipal da Agricultura e Pecuária, Flora Fernandes, que há duas semanas avançou a morte de mil e 200 porcos, admite que os números subiram, embora sem avançar detalhes.

Frisou que está em curso um levantamento junto dos criadores para confirmar-se o número total de perdas.

Doença "arrasa" pocilgas na Humpata  

O município da Humpata, a 22 quilómetros a sudoeste do Lubango, é o maior produtor de suínos e seus derivados, mas a doença, que afecta deste Março as pocilgas, coloca em risco as suas potencialidades nesse capítulo, pois a maior parte dos criadores foi afectado.

Contactado pela Angop, o criador Emerson Nandesifeny, nesta actividade há quatro anos, disse que a doença arrasou completamente o curral, tendo perecido todos 53 animais.

Fez saber que a doença caracteriza-se por febre alta e o animal em dois dias acaba por morrendo.

Ricardo Júlio Augusto, outro criador, disse que tiveram de tomar medidas correctivas, através da limpeza das pocilgas e rever medicamentos, pois trata-se de uma situação que preocupa todos os suinicultores da região.

A peste suína africana, que se suspeita que seja a causa da morte de porcos na Humpata, foi diagnosticada pela primeira vez no Quénia, é composta por um vírus com DNA de fita dupla pertencente à família de Asfarviridae. A doença é exclusiva de suínos.

Assuntos Animais   Província » Huíla   Saúde  

Leia também
  • 15/05/2019 13:45:21

    Laboratório do Lubango volta a produzir vacinas para galináceos

    Lubango - Após seis anos paralisado, o Laboratório Regional de Vacinas para doença de Newcastle, instalado em 2008 no Lubango, província da Huíla, voltou a funcionar e já produziu, de Janeiro a Abril deste ano, 189 mil e 750 doses para galináceos, mais 48 mil e 850 em relação ao último quadrimestre de 2018.

  • 14/05/2019 20:12:49

    CFM arrecada mais de 200 milhões de Kwanzas em três meses

    Lubango - Duzentos e 19 milhões, 678 mil e 545 Kwanzas é o valor arrecadado pelo Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM), com o transporte de carga diversa e passageiros, em mil e 35 comboios comerciais efectuados, durante o primeiro trimestre deste ano.

  • 14/05/2019 11:30:47

    Baixo caudal provoca restrições de energia na Huíla

    Lubango - As restrições de energia eléctrica aos municípios do Lubango, Humpata e Chibia, na província da Huíla, agravaram-se devido ao baixo caudal na albufeira da barragem da Matala, associada às dificuldades de obtenção de gasóleo, informou hoje o director regional da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT), Júlio Job.