Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

15 Maio de 2019 | 02h22 - Actualizado em 15 Maio de 2019 | 11h18

ONU preocupada com entrada de armas na Líbia

Nova Iorque - O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, declarou-se ?profundamente preocupado? com informações segundo as quais armas continuam a entrar na Líbia, num clima de confrontos pelo controlo de Tripoli.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da ONU

Foto: Divulgação

Estes confrontos, segundo informações, são fomentados pela introdução de armas por várias vias, incluindo pelo mar, exclamou-se o SG da ONU, quando apresentava ao Conselho de Segurança um relatório sobre a operação “Sofia” lançada pela União Europeia (UE) para controlar os navios ao largo das costas líbias, a fim de garantir o respeito pelo embargo sobre as armas destinadas à Líbia, assinala-se.

A operação "Sofia" foi lançada com base numa resolução do Conselho de Segurança, tomada em 2016.

As autoridades dos portos e das alfândegas líbios, formadas pela UE, confiscaram, em Fevereiro último,  vários carros blindados no porto de Misratah (220 quilómetros a leste de Trípoli) e em Janeiro de 2019 no porto de Khumus (120 quilómetros a leste da mesma cidade), lembre-se.

Várias informações dão conta, nos últimos anos, da entrada de armas destinadas aos beligerantes líbios na Líbia, apesar do embargo decretado pelas Nações Unidas sobre as armas, relativamente a este conturbado país.

No mesmo sentido, o porta-voz do Exército Nacional líbio, o general Ahmed Mismeri, anunciou segunda-feira que armas iranianas e drones turcos acabavam de chegar às mãos de milícias armadas de Trípoli.

Numa entrevista à cadeia árabe "Sky News", o general Mismeri acrescentou que a utilização de algumas técnicas necessitam dum longa formação, o que, a seu ver, prova que estrangeiros supervisionam a introdução de drones na Líbia num prazo de 48 horas.

Afirmou que a Turquia participa directamente nos confrontos.

O procurador-geral líbio, Sadik Sour, ordenou, no início de Maio corrente, o confisco dum navio iraniano no porto de Misratah, depois de obter provas de que este consta da lista de sanções norte-americanas.

Os confrontos entre o Governo de União Nacional de Fayez Sarraj, reconhecido pela comunidade internacional, e o autoproclamado Exército Nacional líbio sob o comando do marechal Khalifa Haftar fizeram 454 mortos, dois mil 154 feridos e 60 mil deslocados, assinala-se.

Assuntos África  

Leia também